ND AMA

POR UM 2018 DE PRODUTORES LOCAIS #COOL27/12/17

Lição de Natal de Mary Arantes funciona para o ano todo

Natal, vamos falar dele, enquanto está quentinho.

A cada ano vejo, com alegria, listas de presentes diminuido. Ficaram tão pequenas, que a gente sabe de cor. O mundo ficou mais pobre, ou fomos nós que ficamos ricos, mais conscienciosos? Pode ser também que todo mundo está vacinado, como dizia meu pai, com escorpião no bolso ou feito pezinho de papagaio no arame... fechadinho.

O consumo consciente vem sendo embalado aos poucos e, na dificuldade econômica, estamos  aprendendo a desembrulhar este pacote com outro sabor. Ao buscar valores de presentes mais em conta, temos também procurado por presentes simples, porém significativos, e isso sempre me encantou.

Desde que comecei a trabalhar com voluntariado, vejo o Natal com outros olhos. Enquanto muitas crianças ficam felizes em ganhar um brinquedo que já foi dos nossos filhos, entupimos nossos filhos com tudo o que eles nem querem e nem precisam. Conheço muitas crianças que têm quarto de brinquedos maiores que a casa de muitas outras, nada errado em quem pode ter este quarto, mas tá errado as pessoas trabalharem a vida toda, sem sair do barraco onde moram, e continuarem pobres a vida toda.

Uma das cenas que mais me incomoda no Natal é q das crianças enlouquecidas, abrindo cinco mil presentes, sem saberem quem foi que deu, e aquele mar de papel, rasgado e amassado no chão, pós-meia noite.

Passei a entender que Natal tem que ser o ano todo, com Jesus Cristinho nascendo no coração da gente, todo dia. E assim tenho feito: procuro comemorar a vida com as pessoas que amo a cada dia. Descobri que todo mundo na vida tem seu dia de carne moída, então porque não chamar pra almoçar com você aquela amiga especial, assim mesmo, sem complicação nenhuma? Faço isso tanto que meus filhos já aprenderam: tudo pode ser um bom motivo pra comungar, basta querer!

Certa vez cheguei em casa e o Zuzu da Mamãe estava ao telefone ligando pra uma galera, marcando um encontro aqui em casa. Resolvi perguntar o motivo, era pra inaugurar o George Foreman que eu tinha comprado. Nunca ri tanto na minha vida, e por dentro senti que a lição tinha dado certo.

O que também temos percebido no Natal são as comemorações se antecipando. Uma amiga, este ano, comemorou o Natal num feriado de novembro. Vieram todos os irmãos que moram fora, família reunida, passagens mais baratas, e assim celebraram esta data, mesmo fora de hora.

Mas o caso que mais me impressionou foi de uma mulher que conheci, que simplesmente resolveu mudar de vez a data em que Jesus nasceu. Passou a comemorar o Natal em junho. Ela disse que já estava cheia de concorrer com Natal de empresa, de disputar parente a tapa. Passava o dia todo com o umbigo no fogão, assava de leitoa a peru pras pessoas darem uma “passadinha” na casa dela. “Sou besta nada, mudei sim e ainda enfeito a casa, monto a árvore e tudo mais que precisar. Só que em junho”. No dia achei esse gesto pura heresia. Hoje percebo que ela estava certíssima. Natal pode ser sim em um dia qualquer!

Por um Natal mais brasileiro 

                                                

Meu sonho de verdade verdadeira, que é como se diz na roça, é ver essa data toda mudada, sonho com um Natal nacional, carregado dos nossos valores culturais. Cactus em vez de pinheiro, enfeitado com toda sorte de pingentes de puro artesanato brasileiro, guirlandas feitas com carambola, mini abacaxis, bolas de Natal de aljofre, chinguelingues, subtituídas por frutos nacionais. Os reis “magros”representados por bonequinhos de barro do mestre Vitalino ou outros estres e o jingle bell por um forró arretado do Gonzagão.

Tenho certeza absoluta, que Jesus nasceria do mesmo jeito, felizinho da Silva, numa manjedoura mais humana e mais afetiva, que foi como ele nasceu. No entanto, teimamos em complicar a vida e fazer do Natal um palco pras nossas vaidades.

PS. O Oscar do presente significativo deste ano darei para Broto ao Cubo, produto que surgiu da colab das empresas Criado em Apartamento, Juvenal Art & Design e LAB 31. Dizem que eles inventaram o iPhone dos produtores locais. Numa caixa, uma semente, nela gravada palavras como afeto, gratidão, sonhos, e um pouco de terra. Você planta a semente e, ao germinar, a palavra gravada, que foi seu desejo pra quem você presenteou, continua escrita no broto.

Gratidão, sonhos e amor para o próxmo ano!

  

Importante citar que a palavra colab é  também muito significativa nesses tempos duros em que vivemos. Ninguém mais vai a canto nenhum sem parcerias, sem amigos.

Letícia Naves, que criou um pin com um caminhão de mudança, vai levar também a estatueta do red carpet: numa imagem ela diz tudo.

Mudança para 2018!

                                  

Meu desejo neste Natal pra todos: afeto e mudanças!

Inté

MARY ARANTES (COLABORAÇÃO ESPECIAL) - Natal 2017




COMPARTILHE A MATÉRIA


COMENTÁRIOS (2)


Israel Machado Caldeira - 26/12/17


Minha querida sobrinha suas belas palavras sobre o Natal me deixou emocionado, sem dúvida a figura central desta data é o Meninozinho Jesus, o caminho a verdade e a vida! Meus aplausos.



Mary Avila Reis - 25/12/17


Que lindooooo!!!!!!!!! A realidade é mais linda que a ficcão criada de algum lugar muito distante e mitificado.! Hoje, como essa nova forma de comemorar o Natal, de presentes cheios de reais afetos feito por nossas mãos, numa data que é a nossa, julho, novembro, dia qquer de dezembro. Amei seu texro, minha amada!





MENSAGEM




FACEBOOK